VÍDEOS

Loading...

sábado, 14 de maio de 2011

Fluminense vence e define Ceará e SC como rebaixados


Rio de Janeiro (RJ) - O Fluminense-RJ conquistou mais uma vitória, a sua segunda, 
que marcou sua despedida da disputa da Divisão Especial da Taça Brasil Correios 
Masculina de Clubes, categoria sub-17, ao vencer a ADJ/CEJ/FME-SC pelo placar de 
3 a 1, em partida realizada no ginásio Miécimo da Silva, no Rio de Janeiro (RJ). 

Com o resultado do jogo disputado na tarde desta sexta-feira (13/5), o clube da cidade 
do Rio de Janeiro chegou aos seis pontos ganhos na chave A e não corre mais risco de 
ser rebaixado para a divisão inferior. Já a ADJ, por sua vez, com apenas um ponto 
conquistado, acabou rebaixando Santa Catarina para a divisão inferior, ao lado do Ceará, 
que caiu com o Sumov.

Logo em seu primeiro ataque na partida o time do Fluminense chegou ao seu primeiro gol. 
Em rápida jogada na saída de bola o passe chegou até Buchecha que, com precisão, acertou 
o arremate e bateu forte, sem qualquer chance de defesa para o goleiro Jean, que ainda 
tentou a intervenção, mas não conseguiu.

O clube do Fluminense continuou melhor em quadra. Sem dar espaços ao ataque adversário, 
o time carioca continuou buscando o ataque e acabou chegando ao segundo gol depois de um 
contra ataque bem encaixado, que culminou com a finalização de Thiago.

Na segunda etapa o time catarinense passou a atacar mais e por pouco não descontou em 
chute de Felipe, que o goleiro tricolor defendeu com os pés. A partir daí a ADJ passou a 
buscar incessantemente o ataque, mas esbarrou na defesa carioca, que esteve muito bem 
postada.

Nos contra ataques, os donos da casa passaram a chegar com perigo, perdendo, inclusive, 
grandes chances para ampliar. Com isso a ADJ se manteve na frente e descontou a vantagem 
em forte chute de Felipe, que aproveitou a rebarba da defesa tricolor.

Mas o Fluminense continuou buscando ampliar a vantagem nos contra golpes e, em um deles, 
o encaixe foi correto e acabou culminando com o tento de Fábio. Nos instantes finais do confronto 
os catarinenses ainda buscaram mais gols, porém os cariocas se defenderam bem e seguraram 
a vitória.

Coluna do Papa no Jornal Diário do Nordeste


Sílvio Carlos

Publicado em 14 de maio de 2011 
  • Imprimir
  • Enviar
  • Aumentar
  • Diminuir
 
O céu é o limite
A foto é do profissional Sidnei Machado e coloca em relevo a categoria e performance do bodyboarder cearense Marcelo Freitas. O release me foi mandado pela jornalista Aline Pedrosa. "Tow out Ceará - É uma modalidade do bodyboard que recorre ao jetski para manobras aéreas. Surgiu em 2002, na Austrália, e nele o atleta é rebocado e arremessado contra a onda, usando-a como rampa em movimento, alcançando incríveis voos, chegando a uma velocidade de quase 60km por hora". E o atleta Marcelo Freitas pratica é "fera" do tow out.

Ídolo maior
Não tem quem possa. Sua simplicidade se alia a sua virtude, que por sua vez é aliada de seu talento. Tudo isso junto dá Falcão, o maior ídolo do futebol de salão do Brasil, e o maior jogador do mundo na modalidade. Nesta foto que aparece hoje na coluna dá para perceber o incrível assédio dos torcedores ao atual jogador do Santos/Cortiana - SP, que tem status de estrela.

Jornal da AAFB
Meia página sobre este colunista é muito. Mas foi o que vi no último informativo dessa classe laboriosa de aposentados do Banco do Brasil, onde despontam vultos de nossa melhor sociedade. Os tópicos aqui inseridos em colunas anteriores foram reproduzidos no jornal daquela entidade graças ao prestígio de seu diretor-geral, Gerardo Camilo. Sou muitíssimo grato e sinto-me lisonjeado. Camilo é realmente nota 10 e figura de bem com a vida, sim, senhor.

Polo em São Paulo
Desde a última 5ª feira está em São Paulo o atleta do Náutico Caíque Oliveira, do polo aquático, que apoiado pela Fundação Beto Studart recebe ajuda financeira para custear suas atividades. Mais informações com a AD2M Engenharia de Comunicação, que assessora a fundação.

Praia de Iracema
Meu amigo desde os tempos da Rua do Seminário da Prainha, com extensão para o coqueiral da Maria Júlia, Jaildon Correa Barbosa concluiu mais trabalho literário, A Praia de Iracema dos anos 50, impresso pela Premius Editora. O lançamento do mesmo será dia 1°/06, no auditório do Centro Dragão do Mar, na Praia de Iracema, local mais que apropriado para o evento.

Pai e filhos
A personagem do meio, Pedro de Abreu, torce Fortaleza e está ladeado pelos filhos: Rafael, que trabalha para o Tricolor do Pici, e Pedro Júnior, que joga no Quixeramobim. Não sei (e nem posso saber) para qual time ele torceu no sábado (7/05), quando o Leão vencia por 2 a 0 e a partida foi suspensa devido à atuação de vândalos, que provocaram confusão e o jogo foi suspenso. Mas esse confronto terá sua conclusão amanhã, às 19h30, no Ginásio Paulo Sarasate, mas de portões fechados.

Secretário elogiado
Quem sai do gabinete do secretário de Esportes e Lazer de Fortaleza (Secel), professor Evaldo Lima, o faz com sorriso de orelha a orelha. O titular da Secel recebe bem, tem sensibilidade esportiva e é um homem de prestígio junto à prefeita. Já ouvi isso de vários presidentes de federações amadoras. E acrescento que o secretário Evaldo é de uma extrema simpatia e atende os jornalistas que querem entrevistá-lo com maior solicitude.

Talento nato
Sobrinho da campeoníssima Hedla Lopes, Luiz Altamir Lopes Melo também é "fera" da natação. E ontem ele já mostrou sua força na piscina faturando o ouro nos 200m livres do Torneio N/NE Interfederativo de Natação - Troféu Dr. Milton Medeiros. A competição será concluída neste sábado (14/05), no parque aquático do Sport Club do Recife.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Náutico vence Sumov e escapa do rebaixamento


Rio de Janeiro (RJ) - O Náutico-PE conquistou uma importante vitória ao bater a equipe 
do Sumov-CE pelo placar de 1 a 0, na disputa da Divisão Especial da Taça Brasil Correios 
Masculina de Clubes, categoria sub-17, que está sendo realizada no ginásio Miécimo da 
Silva, no Rio de Janeiro (RJ). 

Com o resultado do jogo realizado na tarde desta sexta-feira (13/5), o clube da 
cidade de Recife chegou aos seis pontos ganhos na chave A e não corre mais risco de 
ser rebaixado para a divisão inferior. Já o Sumov, que permaneceu com três pontos, 
aguarda os dois últimos jogos para saber se poderá cair.

Na primeira etapa de jogo os dois times não criaram muito. Talvez por não terem mais 
chances de classificação, os atletas pareciam não estarem muito ligados na partida, o que 
fez com que as chances de gol acabassem sendo raras e o placar acabar permanecendo 
inalterado.

No segundo tempo, porém, a história foi outra. Os gols continuaram demorando a sair, 
mas tanto Sumov quando Náutico entraram em quadra mais acesos, criando oportunidades 
claras de gols e exigindo boas defesas dos goleiros Marcos e Thomaz, que tiveram trabalho 
nos minutos iniciais.

O Náutico chegava com maior perigo e por pouco não abriu o placar em chute de Ruda, que 
carimbou a trave da meta cearense. O time pernambucano continuou atacando e logo 
chegou ao primeiro tento. Douglas recebeu bom passe na frente e finalizou bem, anotando 
o gol do clube recifense, que se defendeu bem e saiu com a vitória.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

REGULAMENTO DO ESTADUAL DE FUTSAL 2011


REGULAMENTO DO CAMPEONATO ESTADUAL DE FUTSAL

CATEGORIA: ADULTO/MASCULINO - ANO: 2011

        CAPÍTULO I
    DA ORGANIZAÇÃO


Art. 1o - O Campeonato Estadual de Futebol de Salão - Edição 2011, na Categoria ADULTO/MASCULINO é uma competição oficial e anual, promovida e organizada pela Federação Cearense de Futebol de Salão.

Art. 2o - O Campeão Estadual de Futebol de Salão de 2011, Categoria Adulto/Masculino, legítimo representante do Estado do Ceará na Taça Brasil de Clubes 2012 será conhecido entre as equipes que chegarem à fase final, através de disputas regulamentadas no presente Regulamento ou por Atos Adicionais a este.

§ Único: O Campeão Estadual de Futebol de Salão de 2011, Categoria Adulto/Masculino, será o legítimo representante do Estado do Ceará na Taça Brasil de Clubes de 2012 e o Vice Campeão Estadual terá uma vaga assegurada como representante do Estado na Liga Nordeste de 2012, serão conhecidos entre as equipes que chegarem à fase final, através de disputas regulamentadas no presente Regulamento ou por Atos Adicionais a este. A outra equipe que representará nosso estado para a Liga Nordeste será a equipe Campeã da Copa Metropolitana Serie Ouro de 2011

Art. 3o - A Organização do Campeonato será de inteira responsabilidade da FCFS, através de seus diversos Departamentos.

Art. 4o - Compete ao Departamento Técnico da FCFS a elaboração das Tabelas de todas as Fases que compõem o Campeonato.

Art. 5o - Em todas as partidas do Campeonato, que sejam realizadas na Capital ou Interior, haverá sempre um Representante da Presidência da FCFS para acompanhar os jogos, podendo o mesmo tomar resoluções que garantam o bom andamento dos jogos, fazendo cumprir e observar este Regulamento e as Leis Desportivas, ou qualquer outra medida visando o bem estar e o andamento da competição.

Art. 6º. - Os clubes participantes do Campeonato Cearense de Futsal 2011 deverão respeitar o Estatuto, Resoluções e demais Normas da FCFS e da CBFS, bem como o Regulamento da competição.

Art. 7º. - Este Regulamento não poderá ser alterado, após sua publicação pela FCFS, de modo a assegurar transparência e aplicabilidade uniforme das normas a todos os disputantes.

Art. 8º. - Os clubes participantes do Campeonato Cearense de Futsal 2011 reconhecem, concordam e se comprometem a acatar a aplicação do vigente Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) pela Comissão Disciplinar designada pelo TJD da FCFS, como primeira instância e, como segunda, para as questões referentes à competição, entre eles ou, entre eles, o Campeonato Cearense de Futsal 2011 e a FCFS, desistindo, assim, de valerem-se, para esses fins, de órgãos da Justiça Comum, diretamente ou através de terceiros.

Art. 8º. 1 - Além desta cláusula compromissória voluntária, obrigam-se os participantes do Campeonato Cearense de Futsal 2011 a:

Art. 8º. 2 - Disputar o Campeonato Cearense de Futsal 2011 com a sua equipe principal;

Art. 8º. 3 - Participar das partidas nas datas, locais e horários marcados na tabela;

Art. 8º. 4 - Admitir e aceitar as modificações da tabela, em todas as fases, quando tomadas no interesse das televisões que procurarão beneficiar o Futsal Cearense, respeitando o mando de jogo, isto é, o jogo será disputado no Município ou cidade, da equipe sediante.

Art. 8º. 5 - Recusar e não participar, durante o Campeonato Cearense de Futsal 2011, de outros jogos amistosos, torneios ou campeonatos que não sejam da FCFS, sem a expressa autorização da FCFS.

Art. 9º. - A elaboração das tabelas levará em consideração o interesse de transmissão das emissoras de televisão. As modificações que porventura possam ocorrer serão sempre para atender os mencionados interesses e a divulgação do próprio Futsal cearense.

Art. 9º. 1 - Os clubes poderão, excepcionalmente, de comum acordo entre as equipes envolvidas, solicitarem a alteração de datas e horários de jogos da tabela, desde que estes não sejam televisionados e mediante pagamento de taxa no valor de R$ 500,00 (quinhentos reais) por jogo, para cada equipe e desde que o façam com antecedência mínima de 05 (cinco) dias, ficando estas alterações dependentes de aprovação do departamento técnico da FCFS. 

Art. 10º.  - Fica estabelecido que na publicação da tabela de jogos a equipe que estiver com o mando de jogo terá seu nome publicado em primeiro lugar, ou seja, do lado esquerdo. 

Art. 10º. 1 - O mando de jogo representa que a partida será realizada em cidade indicada pela equipe mandante, podendo a partida ser realizada em um dos ginásios determinados pelo Departamento Técnico da FCFS. 


                                                    CAPÍTULO II
                                   DAS INSCRIÇÕES DOS ATLETAS

Art. 11º.  - A participação de atletas nas Associações que estejam disputando, obedecerão as normas regulamentares previstas nos artigos abaixo a seguir, e adotada com relação a inscrições, revalidações e transferências.

Art. 12o - O atleta só poderá participar do jogo, se a sua carteira de identificação expedida pela FCFS em 2011 estiver com o Anotador, com uma antecedência mínima de 30 (trinta) minutos antes do início do jogo, sem a qual não poderá participar da partida.

§ 1o - Faltando a carteira expedida pela FCFS em 2011, o atleta ou atendente/massagista, exceto o técnico e preparador físico (Carteira do CREF) o médico ou fisioterapeuta deverá apresentar a carteira funcional, poderá ser inscrito mediante a apresentação de documento de fé pública que possua fotografia, que ficará de posse do anotador para anotação dos dados em súmula e posterior verificação nos registros da FCFS. O clube que não apresentar a carteira da FCFS, para seu atleta ou membro da comissão técnica, tenha condição de jogo conforme descrito acima terá que pagar, em espécie, no momento da apresentação do documento, uma taxa no valor de R$ 25,00 (vinte cinco reais) por cada carteira não apresentada.

§ 2o - Constatado que o atleta ou membro da comissão técnica, cuja carteira faltou, não tenha registro na FCFS, sua equipe perderá os pontos automaticamente que porventura tenha ganhado e a súmula será encaminhada ao TJD/ FCFS para julgamento.

§ 3º - As equipes disputantes da partida deverão apresentar ao Anotador, 30 (trinta) minutosantes do horário previsto para inicio do jogo, uma relação (pré sumula) contendo os nomes completos e apelidos, bem como Nº da carteira, dos atletas e membros da comissão técnica que irão participar da partida.

§ 4o - O atleta que participar por uma determinada equipe no Campeonato, inclusive no banco de reservas, ficará automaticamente impossibilitado de transferir-se para outra equipe no mesmo campeonato, ressalvadas as disposições constantes do Regulamento.

Art. 13º.  - As equipes participantes poderão inscrever qualquer atleta amador junto à FCFS, dentro da faixa de idade prevista para esta Categoria (mínima de 16 anos), com a obrigatoriedade de se fazer inscrições iniciais, revalidações ou transferências estaduais, interestaduais ou mesmo internacionais, se for o caso.

§ 1o – O prazo de Inscrições, Revalidações ou Transferências de atletas encerram-se às 18 horas do último dia útil, antes do último jogo da 1ª fase (jogos de volta) da competição, respeitando o que está prescrito no Art. 15º do presente Regulamento.

§ 2o - A idade fixada como limite mínimo deverá ser atingida até a data do início da competição, enquanto será permitida a participação dos atletas que tenham atingido no ano da competição a idade fixada como limite máximo.

§ 3o - Em hipótese alguma, nenhum atleta poderá ser inscrito por mais de 01 (uma) equipe nesta competição.

§ 4o - O estágio a ser cumprido por atleta que jogou no ano de 2010 que não tiver o atestado liberatório, será de 60 (sessenta) dias, contados da data de entrada da transferência do atleta no protocolo da secretária da FCFS.

§ 5o - Com o atestado liberatório e o pagamento da taxa, os atletas que atuaram em 2010 terão condições imediata de jogo.

§ 6o - Ficará isento desse estágio o atleta que não tiver participado da temporada oficial do ano anterior.

§ 7o – Os atletas com idade igual ou superior a 36 anos podem atuar desde que apresentem na FCFS ou no próprio local da competição, antecipadamente, Atestado Médico considerando-o apto para a prática do esporte.

Art. 14º - Os atletas menores de dezoito (18) anos terão que apresentar por ocasião das inscrições de suas equipes na FCFS, uma autorização escrita do pai ou responsável, para que o mesmo participe da competição.

Art. 15º - As inscrições de atletas e membros da comissão técnica deverão ser feitas até setenta e duas (72) horas antes do início do jogo previsto da equipe, para que o(s) atleta(s) e/ou membro(s) da comissão técnica possam ter condição de jogo.
  

           CAPÍTULO III
  DA FÓRMULA DE DISPUTA


Art. 16º. - O Campeonato Estadual de Futebol de Salão, edição 2011, Categoria Adulto/Masculino, será disputado por dezesseis (16) equipes, distribuídas em dois (2) grupos (A e B), abaixo relacionadas:


GRUPO A                                                                            GRUPO B
HORIZONTE FUTSAL                                                         QUIXERAMOBIM ESPORTE CLUBE
AFAGU RUSSAS                                                                ANT.BEZERRA/UNEUVA
SUMOV ATLÉTICO CLUBE                                                 MERUOCA ESPORTE
ALTO SANTO ESPORTE CLUBE                                         NORDESTE FUTSAL
ASSOC. DESP. FIBRA SPORTING CLUB/MORRINHOS      FERROVIÁRIO ATÉTICO CLUBE
CAMOCIM FUTSAL                                                            ESPAÇO JOVEM JOÃO XXIII
ASSOCIAÇÃO LIMOEIRO FUTSAL                                    SÃO GONÇALO FUTSAL
                                                                                         FORTALEZA ESPORTE CLUBE

Art. 17º.  - Forma de Disputa da 1ª. Fase “Classificatória” (Jogos de Ida e Volta)
As equipes jogarão entre si, em jogos de ida e volta, dentro de seus respectivos grupos. Após o encerramento da primeira fase “classificatória”, as seis (6) primeiras equipes melhores pontuadas dentro dos seus respectivos grupos, ou seja, maior número de pontos ganhos na 1ª. fase estarão classificadas para as disputas da fase seguinte (2ª. Fase), as seis (6) primeiras Equipes/Municípios tecnicamente melhor pontuadas, de cada grupo, num total de doze (12) Equipes/Municípios.

Art. 18º. - Ao final da 1ª. Fase - Classificatória, quando 2 (duas) ou mais equipes terminarem empatadas na soma de pontos ganhos, o desempate far-se-á da seguinte forma, e, em ordem sucessiva de eliminação:

Os Critérios de Desempate:
1) Confronto direto (entre duas Equipes/Municípios);
2) Maior número de vitórias na competição;
3) Maior número de vitórias fora de casa na competição;
4) Maior media de gols marcados (numero de gols marcados dividido pelo numero de jogos);
5) Maior número de gols marcados fora de casa;
6) Equipe com menor número de Cartões Vermelhos;
7) Equipe com menor número de Cartões Amarelos;
8) Sorteio.

Art. 19º. – Forma de Disputa da 2ª. Fase “Eliminatória” (Jogos de Ida e Volta)
Após conhecidas as doze (12) Equipes/Municípios classificadas na 1ª. fase, a 2ª. Fase será disputada da seguinte forma: as Equipes/Municípios serão distribuídas em dois (2) grupos de seis (6) Equipes/Municípios e jogarão entre si, em jogos de ida e volta, dentro de seus respectivos grupos. Nessa fase (2ª. Fase), serão classificadas para as disputas da 3ª Fase, as quatro (4) primeiras Equipes/Municípios tecnicamente melhor pontuadas em cada grupo da 2ª. Fase, num total de oito (8) Equipes/Municípios. Caso duas (2) ou mais Equipes/Municípios terminem essa fase empatadas em pontos ganhos, serão obedecidos os Critérios de Desempate contidos no Art. 19º.1.  do presente regulamento.
  
COMPOSIÇÃO DOS GRUPOS PARA A 2ª. FASE

      GRUPO C                                                                                GRUPO D

1º. Lugar do Grupo A                                                           1º. Lugar do Grupo B

2º. Lugar do Grupo B                                                           2º. Lugar do grupo A

3º. Lugar do Grupo A                                                           3º. Lugar do Grupo B

4º. Lugar do Grupo B                                                           4º. Lugar do Grupo A

5º .Lugar do Grupo A                                                           .Lugar do Grupo B

6º .Lugar do Grupo B                                                           6º.Lugar do Grupo A


Art. 19.1 - Os Critérios de Desempate:
a) Confronto direto (entre duas Equipes/Municípios) na fase;
b) Maior número de vitórias na fase;
c) Maior número de vitórias fora de casa na fase;
d) Melhor Índice Técnico a partir da 2ª. fase (divisão do número de pontos ganhos pelo número de jogos);
e) Maior media de gols marcados na fase (número de gols marcados dividido pelo número de jogos);
f) Maior número de gols marcados fora de casa na fase;
g) Sorteio.
§ Único - Quando três (3) ou mais Equipes/Municípios terminarem empatadas na soma de pontos ganhos a partir da 2ª. Fase até a Fase Final observar-se-ão, sucessivamente, e na ordem eliminatória os critérios constantes do caput deste artigo, as letras a, b, c, d, e, f e g, apurando-se, por item, as equipes classificadas, sem prejuízo de descarta-se, na aplicação de cada critério, a(s) equipe(s) menos aquinhoada(s).

Art. 20º.  – Forma de Disputa da 3ª. Fase “Mata/Mata” (Jogos de Ida e Volta)
- 3ª. Fase, nessa fase as 8(oito) Equipes/Municípios farão uma disputa de melhor de 4 (quatro) pontos, com jogos de ida e volta (segunda partida) sendo realizada no ginásio da Equipes/Municípios que obteve a melhor colocação na 2ª. Fase.

COMPOSIÇÃO DOS GRUPOS PARA AS DISPUTAS DA 3ª. FASE:

GRUPO E =>          1º. Colocado do grupo C              X        4º. Colocado do Grupo D

GRUPO F =>          2º. Colocado do grupo C              X        3º Colocado do Grupo D

GRUPO G =>         3º. Colocado do grupo C              X        2º. Colocado do Grupo D

GRUPO H =>         4º. Colocado do Grupo C             X        1º. Colocado do Grupo D

§ Único - Caso após a realização da segunda partida, nenhuma das equipes tenha obtido ainda 4 (quatro) pontos, será realizada uma prorrogação de 10 (dez) minutos, com dois tempos de 5 (cinco) minutos, com inversão de lado ao término dos primeiros cinco minutos. Nessa prorrogação, as equipes classificadas em 1o (primeiro) e 2o (segundo) lugares jogarão pelo empate, para passarem para a próxima fase da competição (Semi Finais).


4a (QUARTA) FASE – SEMI-FINAIS


Art. 21º. - Após conhecidas as 4 (quatro) Equipes/Municípios classificadas da 3ª. Fase, a 4ª. Fase(semi-finais) os grupos para as disputas serão formados da seguinte forma:

                            ___________________ x _____________________
         GRUPO I – Vencedor do Grupo E             Vencedor do Grupo G
                            ___________________ x _____________________
         GRUPO J –          Vencedor do Grupo F             Vencedor do Grupo H

§ 1o - Nessa fase (Semi Finais), as equipes classificadas da fase anterior, farão uma disputa de melhor de 4 (quatro) pontos, com o jogo de volta (segunda partida) sendo realizado no ginásio da equipe que obteve o melhor Índice Técnico do Campeonato de 2011, conforme o Art. 19º.1 do presente Regulamento.

§ 2o - Caso após a realização da segunda partida, nenhuma das equipes tenha obtido ainda 4 (quatro) pontos, a decisão será por penalidades máximas:
  • DECISÃO POR PENALIDADES MÁXIMAS
 Será respeitado o anexo II do Livro Nacional de Regras de Futsal 2011.



FASE FINAL:

Art. 22º.  - Forma de Disputa da FASE FINAL (Jogos de Ida e Volta)
Será disputada na melhor de duas partidas. Em caso de empate no número de pontos nos dois primeiros confrontos será decidida em pênaltis. O grupo para as disputas será formado da seguinte forma:

         _________________________ x _________________________
        Vencedor do Grupo I              Vencedor do Grupo J


§ 1o - Nessa fase (Final), as equipes classificadas da fase anterior, farão uma disputa de melhor de quatro (4) pontos, sendo que os dois jogos serão realizados em Fortaleza no Ginásio que a FCFS indicar.

§ 2o - Caso após a realização da segunda partida, nenhuma das equipes tenha obtido ainda quatro (4) pontos, será colocado em pratica o § 2o do Art. 21º. . A equipe que vencer na decisão por penalidades máximas será declarada CAMPEÃ DE 2011, enquanto que a outra equipe será a VICE-CAMPEÃ.

§ 3º - As equipes 3ª e 4ª colocadas serão as perdedoras da 3ª fase (semi-final), obedecendo os critérios técnicos de melhor campanha em toda a competição.
  
Art. 23º. – Os mandos de quadra nas 2ª, 3ª e 4ª. Fase poderão ser alterados, a critério da FCFS, no caso dos ginásios não oferecerem as condições exigidas pela Federação.

Art. 24º.  – Os dois jogos das finais do Campeonato Estadual de Futsal Categoria Adulto Masculino de 2011 serão realizados em Fortaleza.


                 CAPÍTULO IV
        DO HORÁRIO DOS  JOGOS
  
Art. 25º.  - Os jogos deverão ter início de acordo com o horário indicado na Tabela ou Nota Oficial divulgadas.

§ 1o - Haverá uma tolerância de 15(quinze) minutos para o início de cada partida.

§ 2o - Só com autorização do Representante da Presidência da Federação (Representante da FCFS), a mesma poderá ter o seu horário prorrogado ou antecipado no seu início.

§ 3º - A equipe que proporcionar atraso do jogo pagará uma multa a FCFS no valor de R$ 50,00 (cinqüenta reais), por cada minuto de atraso.

§ 4º - Caso alguma equipe solicite adiamento de jogo, deverá fazer através de ofício e de comum acordo com a equipe adversária, e se o adiamento for confirmado pela FCFS, a equipe solicitante deverá pagar uma taxa no valor de R$ 500,00 (quinhentos reais).

§ 5º - O prazo máximo para que a partida seja adiada, conforme o parágrafo anterior, a solicitação deverá dar entrada na FCFS, até 72 (setenta e duas) horas antes da data inicialmente prevista para o jogo.


               CAPÍTULO V
    DA  CONTAGEM DE PONTOS
  
Art. 26º.  - A contagem de pontos será a seguinte:

         - VITÓRIA:                               03      (três) pontos ganhos;
         - EMPATE:                                01      (um) ponto  ganho;
         - DERROTA:                              00      (zero) ponto ganho.

§ 1o - A equipe que provocar um (1) W.O neste campeonato, seus atletas e membros da comissão técnica, serão julgados pelo TJD / FCFS.

§ 2o - Quando houver deslocamento de equipes de uma cidade para outra, somente o delegado do jogo poderá prorrogar o horário do início do mesmo, considerando que a equipe atrasada poderá estar sofrendo problemas para chegar ao local da partida, desde que seja comunicado pelo representante da equipe do motivo que ocasione o atraso maior do que 15 (quinze) minutos. Essa prorrogação não poderá ultrapassar o prazo de 1 (uma) hora do início previsto.

§ 3º - Quando uma equipe perder por W.O serão computados como resultado do jogo, o placar de 3 x 0 e 3 pontos ganhos para a equipe que compareceu ao jogo.

§ 4º - Quando uma equipe perder por W.O pela segunda vez será automaticamente eliminada da competição e na fase seguinte não constarão seus jogos na tabela.


        CAPÍTULO VI
     D A S  E Q U I P E S

 Art. 27º. - Quando a equipe realizar os jogos no seu mando de quadra, terá que providenciar policiamento para a segurança dos atletas, dirigentes, oficiais de arbitragens e do público. Antes do início de qualquer partida, o delegado designado pela presidência da FCFS, verificará tal presença, se no início a referida segurança não estiver naquela praça de esportes, será aguardada a chegada da mesma para ter início a partida.

Art. 28º. – A equipe que detém o mando de jogo deverá providenciar atendimento médico e pessoal qualificado para atendimento de urgência, se for necessário, no local da realização do jogo.

Art. 29º. - É obrigação de cada equipe participante da partida, apresentar duas (2) bolas Dalponte novas para serem utilizadas no jogo, que servirá de aquecimento da equipe e ficar na mesa de anotações, para ser utilizada, se for o caso. Caso a equipe não disponha dessa bola, pagará uma multa no valor de R$ 100,00 (cem reais).

Art. 30º. - Providenciar boleiros, rodos, panos, enxugadores de quadra e responsável pela colocação e assistência do material de divulgação da FCFS e seus patrocinadores/sediantes no ginásio da competição, sem ônus para FCFS;
Art. 31º. - Proibir terminantemente o ingresso e venda de bebidas e produtos em latas, garrafas e/ou recipientes de vidro e de bebidas alcoólicas de qualquer natureza, no interior do Ginásio. Considera-se interior do Ginásio qualquer lugar, local ou dependência que faça parte da estrutura física do Ginásio;
Art. 32º.  - Não será permitido, no interior dos ginásios, a utilização de sinalizadores, buzinas, apitos, fogos de artifícios, instrumentos de percussão e bateria ou quaisquer outros objetos e/ou artefatos que venham a dificultar e/ou perturbar o bom andamento dos jogos.

Art. 33º. - Fica permitida, no interior dos ginásios, a execução dos hinos nacional e dos clubes antes do início da partida.

Art. 34º.  - É de responsabilidade única e exclusiva do sediante, o recolhimento de todos os tributos e encargos previstos, e que por ventura venham a serem instituídos, na legislação brasileira, decorrente da receita de renda dos jogos, não cabendo à FCFS qualquer co-responsabilidade;
Art. 35º. - Providenciar policiamento militar e guarda municipal em número suficiente (mínimo de quatro 6) para garantir a integridade física das pessoas no local da competição;
§ Único - A Federação fornecerá duas (2) bolas para a realização da partida.
  
Art. 36º. - Disponibilizar as dependências adequadas e exigíveis para a realização dos jogos, cuja quadra de jogo tenha medidas de no mínimo 34 metros de comprimento por 18 metros de largura com área de escape de no mínimo 1,0 metro, alambrados e tela de proteção circundando a quadra de jogo e com altura mínima de 6,0 mts. Vestiários para a equipes preliantes e equipe de arbitragem; iluminação do ginásio com 1000 lux e livre de propaganda, abaixo de 8 (oito) metros, onde forem realizados jogos com transmissão de TV, estando sujeito a prévia aprovação da FCFS; 

                                CAPÍTULO VII
  DAS TAXAS DE ARBITRAGENS E OUTRAS OBRIGAÇÕES


Art. 37º.  - Todos os jogos do Campeonato Cearense Adulto/Masculino de 2011 promovido pela FCFSserão dirigidos por dois (2) Árbitros, coadjuvados por um(1) Anotador e um(1) Cronometrista, completando, ainda, a equipe, um(1) Representante da FCFS designado pela Presidência da Federação.

Art. 38º.  - Nos jogos da Capital, na Fase Classificatória (1ª. Fase), rateio de 50% entre as equipes preliantes, o pagamento deverá ser em espécie, ao Representante da FCFS, antes do início do jogo, a taxa de arbitragem no valor de R$ 350,00 (trezentos e cinqüenta reais) por jogo.

Art. 39º.  - Nos jogos do Interior, na Fase Classificatória (1ª. Fase), a equipe mandante do jogo deverá pagar em espécie, ao Representante da FCFS, antes do início do jogo, a taxa de arbitragem no valor de R$ 400,00 (quatrocentos reais) por jogo.

§ 1o – Taxas de arbitragens do Campeonato Estadual de Futsal 2011 de acordo com a CIRCULAR No. 001/2011 e caderno de encargos.

§ 2o – A equipe do município-sede do jogo, além da taxa de arbitragem, terá também, como despesas o transporte, alimentação e pousada com café, almoço, jantar, água mineral e refrigerante (se for o caso), de toda a equipe da Federação.
  
Art. 40º.  - Nenhum jogo poderá deixar de ser efetuado por falta de qualquer um dos oficiais de arbitragem escalados para a partida.

§ 1o - Caso, na hora marcada para início do jogo, não esteja presente um ou mais membros da equipe de arbitragem, o Representante da FCFS, designará o substituto(s), podendo escalar um árbitro da região.

§ 2o - Se, por qualquer motivo, um dos membros da equipe de arbitragem não puder continuar a funcionar no jogo, ser-lhe-á dado substituto, de acordo com o disposto nas Regras Oficiais. 
  

     CAPÍTULO VIII
  D A S  A P E N A Ç Õ E S


Art. 41º.  - A aplicação de cartões punitivos, estabelecidos, nas Regras Oficiais do Futsal, nas cores amarela (advertência) e vermelha (expulsão), constitui medida preventiva de inequívoca eficácia no campo desportivo, objetivando refrear violências individuais e coletivas.

§ 1o - Sujeitar-se-á ao cumprimento de suspensão automática e, conseqüentemente, impossibilidade de participar na partida subseqüente, o atleta que, na mesma competição, receber:


  a) 01 (um) cartão vermelho (expulso); ou
b) 03 (três) cartões amarelos (advertência).

§ 2o - A aplicação da suspensão automática independe do resultado do julgamento a que for submetido no âmbito da Justiça Desportiva.

§ 3º - Em hipótese alguma atleta ou membro de comissão técnica cumprirá punição em uma partida não realizada (inclusive WxO), a punição somente será considerada como cumprida após a não participação na primeira partida subseqüente, efetivamente, disputada. 


Art. 42º. - A contagem de cartões (vermelho e amarelo) é feita dentro da mesma competição, seja ela dividida, ou não, em fases.

§ Único - A quantificação de cartões independe de comunicação oficial da FCFS, sendo de responsabilidade exclusiva das equipes disputantes da competição o seu controle.

Art. 43º.  - A contagem de cartões, para fins de aplicação da suspensão automática, é feita separadamente e por tipologia de cartão, não havendo possibilidade de o cartão vermelho apagar o amarelo, já recebido na mesma ou em outra partida.

§ 1º. - Se o mesmo atleta, em determinado momento da competição, simultaneamente, acumular 03 (três) cartões amarelos e um vermelho, cumprirá, automaticamente, a suspensão de 02 (duas) partidas.

§ 2º. – O atleta e\ou membro da comissão técnica que for expulso a partir da 2ª. vez na competição, cumprirá, automaticamente, a suspensão de 02 (duas) partidas.

Art. 44º. –. Aos membros da Comissão Técnica das equipes não mais serão apresentados cartões amarelo e/ou vermelho. Quando os membros da Comissão Técnica forem expulsos de quadra pelos árbitros, sujeitar-se-á ao cumprimento de suspensão automática e conseqüentemente impossibilidade de participar na partida subseqüente o técnico ou treinador, atendente, médico, ou fisioterapeuta, e preparador físico que for expulso na partida anterior da mesma competição.

§ Único - A aplicação da suspensão automática independe da aplicação das Medidas Disciplinares Automáticas ou do resultado do julgamento o que for submetido no âmbito da Justiça Desportiva.

Art. 45º.  - A equipe que utilizar atleta ou membro de Comissão Técnica irregular em qualquer partida da competição sujeitar-se-á:
a)   perda automática dos pontos ganhos na partida, em caso de vitória, com atribuição de 03 (três) pontos ganhos à equipe adversária;
  
b) perda automática dos pontos ganhos na partida, em caso de empate, com atribuição de 03 (três) pontos ganhos à equipe adversária;
         c) ratificação de 0 (zero) ponto ganho na partida, em caso de derrota.

§ Único - A irregularidade do atleta ou membro de Comissão Técnica configurar-se-á nas seguintes hipóteses:

1) inexistência de inscrição no núcleo ou revalidação, inscrição ou transferência na FCFS ou falta de inscrição do atleta para a disputa da competição;
2) atuar quando sujeito ao cumprimento de suspensão automática, por força de cartões amarelo ou vermelho e/ou cumprindo pena imposta pelo TJD/FCFS;
3) outras irregularidades que possam ocorrer em função de infração das regras oficiais do Futsal ou deste regulamento.

Art. 46º. - A inclusão de técnico ou treinador, atendente ou massagista, médico ou preparador físico, suspenso por apenação de cartões ou sujeito ao cumprimento de penalidade administrativa prevista neste Regulamento implicará nas sanções previstas neste Regulamento implicará na perda automática dos pontos do jogo da equipe infratora, com atribuição de 03 (três) pontos à equipe adversária.

§ 1º - Os atletas, técnico ou treinador, atendente ou massagista, médico ou preparador físico que tenham sido expulsos da partida ou que estejam cumprindo penalidade disciplinar, ou administrativa, de suspensão, quando presentes no local dos jogos deverão se posicionar, obrigatoriamente, no lado oposto do local onde se encontra o banco de reservas de sua equipe na quadra de jogo;

§ 2º - Sendo inacessível para o público o lado oposto da quadra de jogo deverão os mesmos se posicionar no lado onde se encontra o banco de reserva da equipe adversária. 

Art. 47º. - Se uma partida for encerrada por falta de número mínimo legal de atletas, determinado pelas regras oficiais, a equipe que não tiver o número mínimo de atletas será considerada como perdedora, somando-se os 03 (três) pontos ganhos para a equipe que tenha o número mínimo de atletas para continuidade da partida,

Parágrafo Único - Se nenhuma das 2 (duas) equipes possuírem o número mínimo legal de atletas para continuidade da partida, as 2 (duas) equipes serão consideradas perdedoras e nenhuma somará pontos ganhos.

Art. 48º.  – Quando a partida for interrompida por falta de energia elétrica, falta de segurança ou qualquer outro motivo, deverá ser observado o que preceitua o Livro Nacional de Regras de Futsal – 2011, na Regra 07 – Duração da Partida.

Parágrafo Único – O departamento técnico da FCFS deverá remarcar a data do complemento do jogo no prazo máximo de até 8 dias.

Art. 49º. - A contagem de cartões (amarelo e vermelho), para efeito de suspensão automática, será feita na categoria em que o atleta for penalizado com o cartão.

Art. 50º. - Os cartões recebidos pelos atletas, durante os jogos do Campeonato Cearense Adulto/Masculino de 2011 serão acumulativos até a 3ª. Fase do campeonato.

Art. 51º.  - Atletas que após o encerramento de uma fase para outra tenha 3 (três) Cartões Amarelos e/ou 1 (um) Cartão Vermelho a cumprir, terão que ficar ausente de uma ou duas partidas, para cumprimento da pena estabelecida neste Regulamento.

Art. 52º.  As súmulas e relatórios que contenham ocorrências serão encaminhados ao TJD / FCFSpara as providencias cabíveis.
  

        CAPÍTULO IX
      DOS PROTESTOS


Art. 53º.  - Qualquer equipe que se julgue prejudicada por alguma irregularidade ocorrida em um jogo do Campeonato, dará entrada logo após o encerramento da mesma do seu protesto junto ao Representante da FCFS, que autorizará ao Capitão ou ao Representante da equipe, formalizar por escrito, junto a Súmula daquele jogo.

§ 1o - A equipe protestante terá o prazo de 24 (vinte e quatro) horas úteis, após o encerramento do jogo, para ratificar o seu protesto obedecido às formalidades legais junto a Federação, em ofício endereçado ao Presidente da FCFS, em papel timbrado da equipe protestante, reivindicando os seus direitos;

§ 2o - Só será recebido o protesto que estiver redigido em termos precisos e explicar claramente o assunto a que se refere;

§ 3o - Vier assinado pelo responsável pela equipe protestante;

§ 4o - Vier acompanhado do pagamento da taxa de R$ 1.000,00 (hum mil reais), em espécie, sendo que este valor não será restituído, qualquer que seja a decisão do Protesto.

  
                           CAPÍTULO X
  DAS   DISPOSIÇÕES   FINAIS   E   TRANSITÓRIAS


Art. 54º.  - Nos jogos desta competição serão observadas as seguintes diretrizes com relação aos uniformes dos atletas de Futsal:

a) É obrigatório o uso da caneleira por todos os atletas na quadra de jogo, inclusive os que ficam no banco de reservas. Esse equipamento utilizado pelos atletas deverá ser feito de material apropriado e que propiciem efetiva proteção, devendo estar cobertas completamente pelos meiões;

b) Na hipótese do atleta fazer uso de short térmico, este terá de, obrigatoriamente, ser da cor predominante do calção;

c) É obrigatório que figure o número do atleta na parte da frente da camisa, além do já existente nas costas, não podendo fazer uso de esparadrapo ou outro material para tal fim;

d) O capitão da equipe deverá usar, obrigatoriamente, uma braçadeira para identificá-lo;

e) É obrigatório o uso de coletes pelos atletas reservas, sendo a cor dos coletes diferente das cores dos uniformes das equipes preliantes;

f) Caso as equipes disputantes da partida, se apresentem com uniformes parecidos ou iguais, em suas cores e padrões, a equipe mandante do jogo terá que trocar o citado material;

g) Não será permitido o uso de esparadrapo e/ou fita adesiva para numeração ou para uso de braçadeira de capitão, nem tampouco o uso de pincel atômico para marcar número na camisa.

Art. 55º. – Nas quadras onde se realizam jogos do Campeonato Cearense Adulto/Masculino de 2011, a venda de qualquer tipo de bebida (refrigerante, água mineral, sucos, etc) só poderá ser feita em copos descartáveis.
  

                      CAPÍTULO XI
  DA TELEVISÃO, EQUIPES E ARBITRAGEM

Art. 56º. - O direito de transmissão, das partidas do Campeonato Cearense de Futsal Adulto/Masculino de 2011, é da FCFS que cedeu mediante contrato, às emissoras(s) de TV(s) Sistema Verdes Mares e TV Diário.

Art. 57º.  - A(s) emissora(s) de televisão quando das transmissões dos jogos ao vivo poderão, solicitar alterações dos horários, datas e locais dos jogos, visando sempre difundir o Futebol de Salão Cearense, desde que consultado e autorizado pelo Departamento Técnico da FCFS.

Art. 58º.  - Será concedido um período de 20 (vinte) minutos de aquecimento na quadra de jogo somente para as equipes que forem participar do primeiro jogo, devendo encerrá-lo até 10 (dez) minutos antes do horário do jogo previsto na tabela.

Art. 59º.  - A quinze (15) minutos do horário do jogo, os capitães de ambas as equipes devem se apresentar aos árbitros principal e auxiliar, para efetuarem o sorteio de lado. Após o sorteio, os capitães e treinadores assinam a súmula.

Art. 60º.  - A 10 (dez) minutos do início da partida, a campainha do placar eletrônico irá soar finalizando o aquecimento. Os atletas devem deixar a quadra imediatamente e se posicionarem no local de entrada na quadra, verificando se seus uniformes estão em perfeitas condições de uso, coloca-se em fila por ordem numérica, exceção feita ao capitão que deverá ser o primeiro.

Art. 61º.  - A 05 (cinco) minutos do início do jogo as equipes entram em quadra seguindo os oficiais de arbitragem, indo posicionarem-se de frente para as câmeras, no caso de jogo para TV, ou de frente para a tribuna de honra ou mesa de controle.

Art. 62º.  - Os oficiais de arbitragem entram na quadra, conduzindo as equipes, até o centro da quadra, sendo que o árbitro principal e o cronometrista à frente da equipe que estiver à direita na tabela, ao passo que o árbitro auxiliar e o anotador entram à frente da equipe da esquerda da tabela.

Art. 63º.  - O Representante da FCFS ficará junto à mesa de anotações, de frente para as equipes e oficiais de arbitragem.

Art. 64º.  - A 05 (cinco) minutos do início do jogo, será feita a apresentação dos atletas e técnico de cada equipe, dos oficiais de arbitragem e do representante.

Art. 65º. - Os oficiais de arbitragem deverão adentrar a quadra de jogo com, pelo menos, 30 (trinta) minutos de antecedência do início de cada jogo.

Art. 66º.  - Compete aos oficiais de arbitragem inspecionar a quadra, as traves, as redes, as bolas, os uniformes das equipes, as camisas dos goleiros titulares, reservas e goleiro linha, bem como todos os equipamentos necessários à partida.

Art. 67º.  - O oficial de arbitragem designado como anotador deverá receber as carteiras e relações dos participantes da partida, relacionando-os em súmula antes do início da partida.

Art. 68º.  - O cronometrista deverá verificar se o placar eletrônico está em perfeitas condições de uso, colocá-lo em funcionamento marcando o tempo que as equipes ainda podem aquecer em quadra, ou seja, até dez (10) minutos antes do início da partida.


                  CAPÍTULO XII
  DO PROTOCOLO DOS UNIFORMES

Art. 69º.  - Nos jogos do Campeonato Cearense Adulto/Masculino de 2011 de Futsal serão observadas as seguintes diretrizes com relação aos uniformes dos atletas:

§ 1º - As equipes deverão apresentar-se uniformizadas para o início da partida, impreterivelmente, até o horário determinado em tabela ou documento oficial expedido pela organização do evento.

§ 2º - Pelo menos com 1 (um) dia de antecedência do início do jogo o supervisor de cada uma das equipes participantes deverá informar a FCFS ((Representante da FCFS) as cores do uniforme que será utilizado.

§ 3º - Nos jogos deverá figurar no verso da camisa de jogo, acima do número e, em cores contrastantes o nome do atleta, sendo facultativo para os demais certames.

§ 4º - O tamanho da letra do nome do atleta deverá ter no mínimo 6,5cm de altura;

§ 5º - O tamanho do número no verso da camisa do atleta poderá variar entre 18cm e 25cm de altura;

§ 6º - Não será permitida a utilização de coletes ou camisas vazadas pelo “goleiro linha”, o qual deverá utilizar uma camisa de goleiro com a mesma numeração que consta para o atleta na relação de inscritos.

§ 7º - Os calções de jogo, bem como as calças dos goleiros, deverão vir com a numeração do atleta impressa no tamanho entre 8cm e 10cm;

§ 8º - É facultado o uso de bermuda térmica, desde que seja da cor predominante do calção;

§ 9º - É obrigatório o uso do colete pelos atletas que estejam no banco de reservas, devendo os mesmos permanecerem completamente vestidos.

§ 10 - É obrigatório o uso da caneleira;

§ 11 - É obrigatório o uso da braçadeira pelo capitão da equipe;

§ 12 - Os tênis usados pela equipe poderão ser, ou não, da mesma cor;

§ 13 - É obrigatório o número do atleta também na frente da camisa;

§ 14 - É obrigatório o número do atleta também na frente do calção;

§ 15 - O tamanho do número na frente da camisa do atleta deverá variar entre 8cm e 10cm.


                                   CAPÍTULO XIII
DAS PUNIÇÕES A ENTIDADES DESPORTIVAS (CLUBES OU LIGAS)

Art. 70º. - Caso venham a ocorrer quaisquer animosidades, agressões, tentadas ou consumadas, física ou verbal, brigas, tumultos de qualquer natureza ou incidentes que venham causar, ou não, suspensão ou paralisação de jogo, arremesso de objetos ou líquidos de qualquer espécie dentro da quadra, independente de serem os autores membros das comissões técnicas, atletas, funcionários, colaboradores, dirigentes ou integrantes das torcidas, as equipes responsáveis, visitantes ou não, são passíveis de apenação, independentemente da ordem ou seqüência de aplicação, com as seguintes sanções:

a) suspensão definitiva de jogo;
b) jogo com portões fechados;
c) interdição do ginásio;
d) perda de mando do (s) próximo (s) jogo (s).

§ Único Nas ocorrências previstas neste artigo a FCFS dará o prazo de até 24 (vinte e quatro) horas para que as partes, querendo, se manifestem sobre os acontecimentos
  

     CAPÍTULO XIV
  DOS CASOS OMISSOS
  
Art. 71º. - Os casos omissos deste REGULAMENTO serão resolvidos, caso não tenham solução noESTATUTO da FCFS, no Regulamento Complementar dos Campeonatos da Federação, nas Regras Oficiais do Futsal e outras leis complementares, inclusive a Lei de Transferência da CBFS, pela Diretoria da FCFS.

Art. 72º.  – Este Regulamento do Campeonato Cearense de Futsal Adulto/Masculino de 2011, elaborado com base no Art. 217, I da Constituição Federal e aprovado pela Presidência da FCFS entrará em vigor a partir de 9 de abril de 2011, revogadas as RDI´s que com ele colidirem e demais disposições em contrário.

Art. 73º.  – O presente Regulamento foi aprovado em assembléia geral dos clubes, realizada em 09/04/2011, na cidade de Fortaleza-CE, tendo sido aprovado e homologado pela Federação Cearense de Futsal.


Fortaleza, 9 de abril de 2011.


Jornalista Silvio Carlos Vieira Lima
      Presidente da FCFS